CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

sábado, 10 de agosto de 2013

Secretaria de educação promove Curso de Literatura de Cordel– Nova Alvorada do Sul (MS)

 

Prefeito Neto com alunos do curso

Alunos do curso

Nova Alvorada do Sul (05) – Pensando na contribuição que a literatura de cordel pode oferecer no processo de alfabetização e na ação de aprendizagem dentro da sala de aula, que a Secretaria de educação oferece o curso de Literatura de Cordel para professores da rede pública de ensino.

A literatura de cordel é uma espécie de poesia popular que é impressa e divulgada em folhetos ilustrados com o processo de xilogravura. Também são utilizados desenhos e clichês zincografados.

Prefeito Juvenal Neto com cordelista Abdias Campos

Prefeito Juvenal Neto com cordelista Abdias Campos

O professor e cordelista, Abdias Campos, destaca que o cordel ganhou este nome em Portugal, onde eram expostos ao povo amarrados em cordões, estendidos em pequenas lojas de mercados populares ou até mesmo nas ruas. “As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, oucordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas, com esta ferramenta de ensino as aulas ganham um atrativo a mais” aponta Abdias.

“Com base em pesquisas, as crianças que desenvolvem um trabalho com a música apresentam melhor desempenho na escola e na vida como um todo e geralmente apresentam notas mais elevadas quanto à aptidão escolar, imagine unificar a música e a literatura através do cordel”, aponta Juvenal Neto.

RAFAEL DOMINGOS

Fonte: Site da Prefeitura