CORDEL PARAÍBA


Publicamos neste espaço/Do poeta renomado/Ao escritor não famoso,

Do doutor ao não letrado./Verso seja rico ou pobre,/Aqui todo mundo é nobre/E seu respeito é sagrado.

Cordelista iniciante/Não fique desanimado/Caso tenha seu poema/Por algum deus desdenhado./Todo e qualquer aprendiz/Tem o direito motriz/De compor verso quebrado.

Bem-vindos, peguem carona/Na cadência do cordel,/Cujo dono conhecemos:/Não é nenhum coronel./O cordel pertence ao povo

/Do velho a sair no novo/Saboreiam deste mel.
(Manoel Belizario)

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

HUGO MOTA: O DEPUTADO DA PIZZA (PARTE I)




Por Manoel Belizario

Eita estado, hein Paraíba?
Há tanto tempo usurpado.
O nome da capital
Em muita goela entalado.
Terra de coronelismo
Onde seu politiquismo
Deixa o povo envergonhado.

Temos jovens deputados
Com pensamento atrasado.
Caminham pela direita
Defendendo o próprio lado.
São filhotes da elite
Por ela não têm limite
O povo é escanteado.

O caso que vou narrar
Mais parece uma lorota:
Se refere a um pizzaiolo:
O deputado Hugo Mota.
De pouca idade e tamanho
Um tamborete de banho
Quem bebe o chama meiota.

Vocês lembram, meus amigos,
Da famosa CPI
Referente à Petrobrás?
Eu vou relembrar aqui.
Esse dito deputado
Foi à presidência alçado.
Espere um pouco, não ri.

Pois é nosso deputado
Chegou com gosto de gás.
Dizendo não ser menino
A um deputado voraz
Que pôs sua ação em cheque
O xingando de moleque.
Espere que conto mais.



Muito brasileiro vendo
Aquela bela atitude.
Pensava consigo agora
Vai gente presa amiúde.
Porém muita pequenez
Se esconde com altivez

À sombra da juventude.

(Continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário